Paulinho da Força quer protocolar PEC da reforma sindical na próxima quinta

O deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) afirmou nesta quinta-feira que está coletando assinaturas na Câmara para apresentar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma sindical até a próxima quinta-feira. A ideia, segundo ele, é conseguir as 171 assinaturas até a semana que vem, votar o texto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na semana seguinte e, no plenário, até abril de 2020. Durante o Sindimais 2019, ele reforçou ainda que o texto tem o apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

 

O texto será apresentado por meio do deputado Marcelo Ramos (PL-AM), que já apresentou uma PEC recentemente sobre o assunto e que foi devolvida por falta de assinaturas. Paulinho da Força disse que foram feitos ajustes no texto. A PEC será apresentada ao mesmo tempo em que o governo estuda uma proposta também de reforma sindical, reunindo a visão de vários sindicatos.

 

Segundo o deputado e sindicalista, a proposta deve trazer a retirada do Estado da regulação entre a relação do setor privado e o trabalhador. No lugar, seria criado um conselho com duas câmaras, uma para trabalhadores e outra para empresários. Esse conselho seria responsável, segundo ele, por discussões de estatuto, eleições, negociação coletiva e financiamento.

 

Outro ponto seria migrar gradualmente, em 10 anos, para uma situação em que apenas trabalhadores que contribuírem para o sindicato terão direito aos frutos da negociação sindical, como na discussão do dissídio, por exemplo.

 

“Não acho justo o meu sindicato fazer um acordo coletivo e chegar no fim do ano e ter uma fila de 3 mil a 4 mil trabalhadores que não querem contribuir. Não querer contribuir é direito, mas não pode ter direito ao que o sindicato negociou”, disse. Ele sinalizou ainda que deve “sair dessa discussão de unicidade e pluralidade”.

Pela unicidade, existente hoje, fica vedada a existência de mais de uma organização sindical por região, Estado ou país. O item não encontra consenso entre todos os sindicatos.

 

Paulinho afirmou ainda que a atual estrutura sindical, construída na década de 1930, “faliu”. “Não existe mais, mesmo para os sindicatos que ainda estão aí, a tendência é não suportar por muito tempo. Precisamos de uma nova estrutura sindical”, disse.

 

 

Fonte: Uol Economia

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

Governo tira R$ 14 bilhões da economia ao frear valorização do salário mínimo

janeiro 17th, 2020 autor

Inflação para família de baixa renda teve alta de 1,19% em dezembro

janeiro 16th, 2020 autor

500 mil segurados precisam entregar documentos extras ao INSS

janeiro 16th, 2020 autor

Portaria publicada no DOU traz regras para a contratação do programa Verde-Amarelo

janeiro 16th, 2020 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)