Paulinho da Força quer protocolar PEC da reforma sindical na próxima quinta

O deputado federal Paulinho da Força (SD-SP) afirmou nesta quinta-feira que está coletando assinaturas na Câmara para apresentar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma sindical até a próxima quinta-feira. A ideia, segundo ele, é conseguir as 171 assinaturas até a semana que vem, votar o texto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na semana seguinte e, no plenário, até abril de 2020. Durante o Sindimais 2019, ele reforçou ainda que o texto tem o apoio do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

 

O texto será apresentado por meio do deputado Marcelo Ramos (PL-AM), que já apresentou uma PEC recentemente sobre o assunto e que foi devolvida por falta de assinaturas. Paulinho da Força disse que foram feitos ajustes no texto. A PEC será apresentada ao mesmo tempo em que o governo estuda uma proposta também de reforma sindical, reunindo a visão de vários sindicatos.

 

Segundo o deputado e sindicalista, a proposta deve trazer a retirada do Estado da regulação entre a relação do setor privado e o trabalhador. No lugar, seria criado um conselho com duas câmaras, uma para trabalhadores e outra para empresários. Esse conselho seria responsável, segundo ele, por discussões de estatuto, eleições, negociação coletiva e financiamento.

 

Outro ponto seria migrar gradualmente, em 10 anos, para uma situação em que apenas trabalhadores que contribuírem para o sindicato terão direito aos frutos da negociação sindical, como na discussão do dissídio, por exemplo.

 

“Não acho justo o meu sindicato fazer um acordo coletivo e chegar no fim do ano e ter uma fila de 3 mil a 4 mil trabalhadores que não querem contribuir. Não querer contribuir é direito, mas não pode ter direito ao que o sindicato negociou”, disse. Ele sinalizou ainda que deve “sair dessa discussão de unicidade e pluralidade”.

Pela unicidade, existente hoje, fica vedada a existência de mais de uma organização sindical por região, Estado ou país. O item não encontra consenso entre todos os sindicatos.

 

Paulinho afirmou ainda que a atual estrutura sindical, construída na década de 1930, “faliu”. “Não existe mais, mesmo para os sindicatos que ainda estão aí, a tendência é não suportar por muito tempo. Precisamos de uma nova estrutura sindical”, disse.

 

 

Fonte: Uol Economia

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

Movimento sindical em ação pela vida

abril 6th, 2020 autor
FEPROP - MP 936

MP 936: Anamatra avalia medida que institui o Programa de Manutenção do Emprego e da Renda

abril 3rd, 2020 autor

O acordo coletivo é fundamental para superar a crise

abril 3rd, 2020 autor

Coronavírus: FEPROP divulga orientações em tempos de pandemia para a categoria

abril 2nd, 2020 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)