Senadores rejeitam regra mais vantajosa na aposentadoria por invalide

 

O plenário do Senado rejeitou, por 41 votos a 29, o destaque da PEC paralela da reforma da Previdência que buscava garantir o acesso à aposentadoria integral (100% da média salarial) a todos os trabalhadores que se aposentarem por invalidez.

 

O texto-base da PEC paralela da Previdência, que ainda terá que passar pela Câmara dos Deputados, amplia a aposentadoria integral se a incapacidade gerar deficiência ou for decorrente de doença neurodegenerativa.

 

Com a reforma da Previdência, esse tipo de aposentadoria passa a ser integral apenas em casos de acidente de trabalho ou de doença profissional. Para quem fica incapaz por conta de uma doença comum, por exemplo, a aposentadoria por incapacidade passa a ser calculada com 60% da nova média salarial, mais 2% a cada ano que passar de 20 anos de contribuição. Essa mudança representa uma redução de 40% com relação à regra antiga da aposentadoria por invalidez.

 

Antes da reforma, as aposentadorias por invalidez eram todas integrais, independentemente do motivo que levou à incapacidade para o trabalho. Quem define se o trabalhador tem direito a um auxílio-doença, auxílio-acidente ou aposentadoria por invalidez é o perito médico. A aposentadoria por invalidez é concedida quando o profissional não tem mais condições de trabalhar em qualquer atividade.

 

O que mudou na aposentadoria por invalidez após a reforma da Previdência

 

O benefício é pago pelo INSS aos segurados incapacitados para o trabalho

 

O benefício agora se chama aposentadoria por incapacidade permanente

 

Com a reforma, a média salarial é calculada sobre todas as contribuições, sem o descarte das 20% menores

 

O INSS passa a considerar um percentual de 60% sobre essa média para quem tem até 20 anos de contribuição. A cada ano extra serão acrescentados 2%

 

Quando o motivo da incapacidade estiver diretamente ligado à profissão, o segurado tem direito de receber o benefício integral.

 

Fonte: Agora Folha

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

FEPROP - MP 936

MP 936: Anamatra avalia medida que institui o Programa de Manutenção do Emprego e da Renda

abril 3rd, 2020 autor

O acordo coletivo é fundamental para superar a crise

abril 3rd, 2020 autor

Coronavírus: FEPROP divulga orientações em tempos de pandemia para a categoria

abril 2nd, 2020 autor

Senado aprova auxílio de até R$ 1,5 mil por família durante crise do coronavírus

abril 2nd, 2020 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)