Reforma Trabalhista: TRT8 declara violação de princípios no sistema de tarifação

 Com a Reforma Trabalhista o Tribunal Regional do trabalho da 8° Região declara que houve violação aos princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana e isonomia.

Foi declarado que é inconstitucional o Art. 223-G, parágrafo 1°, I a IV, da CLT, que estabelece a “tarifação” do valor da indenização por dano moral na justiça do trabalho, vinculado ao salário do ofendido.

A sessão foi conduzida pela vice presidente do TRT8, Mary Anne Acatauassu camelier Medrado, onde ocorreu  a decisão durante a sessão telepresencial de julgamento.

Esta sessão contou com 15 desembargadores do trabalho, além da procuradora Cíntia Nazaré Pantoja Leão que representou o Ministério Público do Trabalho (MPT).

O artigo foi introduzido pela Lei n° 13.467/2017, mais conhecida como Reforma Trabalhista, que pela maioria foi considerado inconstitucional.

Esta mudança viola os princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana e isonomia, com ofensa aos incisos V e X do Art 5° da Constituição Federal.

O  sistema de tarifação do dano moral nas relações de trabalho que foram estabelecidos no § 1°, I a IV, do art. 223-G da CLT está em desacordo por impor limites que são injustificáveis à ação judicial da indenização por dano moral para àquele que sofreu alguma ofensa e que logo impeça a reparação integral, que consequentemente gera ofensa ao princípio da dignidade humana, assim como aos princípios da isonomia e da reparação integral dos danos garantidos na Carta Magna em vigor.

O que é Reforma trabalhista e quando ocorreu? 

Esta Reforma é a reformulação da Consolidação das Leis do Trabalho CLT e por meio desta reforma, foram alterados muitos direitos dos trabalhadores brasileiros e também os deveres das empresas, o objetivo é tornar as relações de trabalho mais flexíveis e também para combater o desemprego e a crise econômica  no país, que teve início em 2014.

O projeto de lei foi proposto pelo ex-Presidente da República Michel Temer e começou a tramitar na Câmara do Dos Deputados em 23 de Dezembro de 2016.

Logo foi aprovado na Câmara dos deputados em 26 de abril de 2017 por 296 votos favoráveis e 177 votos contrários.

Porém a lei passou a valer no país a partir de 11 de novembro do mesmo ano.

 

 

Fonte: Jornal Contábil

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

CAF e OIT trabalharão juntas para promover mais e melhores empregos na América Latina e no Caribe

outubro 26th, 2020 autor

Cresce pauta sobre home office nas negociações trabalhistas

outubro 26th, 2020 autor

Governo vai simplificar duas mil normas trabalhistas

outubro 23rd, 2020 autor

OAB Nacional discutirá precarização de apps e relações trabalhistas

outubro 23rd, 2020 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)