Inflação pelo IPC-S subiu 0,62% na primeira quinzena de novembro

O IPC-S de 15 de novembro de 2020 subiu 0,62%, ficando 0,03 ponto percentual (p.p) acima da taxa registrada na última divulgação. Com este resultado, o indicador acumula alta de 3,73%, no ano, e 4,52%, nos últimos 12 meses.

Nesta apuração, cinco das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição partiu do grupo Transportes (0,57% para 0,80%). Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item etanol, cuja taxa passou de 4,42% para 6,90%.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Vestuário (0,30% para 0,51%), Comunicação (0,06% para 0,12%), Alimentação (1,55% para 1,57%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,10% para 0,11%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: roupas (0,42% para 0,57%), combo de telefonia, internet e TV por assinatura (0,02% para 0,25%), hortaliças e legumes (6,44% para 9,20%) e aparelhos médico-odontológicos (0,38% para 0,55%).

Em contrapartida, os grupos Educação, Leitura e Recreação (0,89% para 0,75%), Habitação (0,29% para 0,22%) e Despesas Diversas (-0,02% para -0,04%) apresentaram recuo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: passagem aérea (6,80% para 5,80%), equipamentos eletrônicos (-0,11% para -0,43%) e alimentos para animais domésticos (-0,20% para -0,74%).

 

Alimentação e combustíveis

Paulo Picchetti, coordenador do IPC Brasil do FGV IBRE, explica que apesar do número relativamente elevado, esse resultado ainda não indica um processo de alta generalizadas dos preços. “As principais pressões vêm dos grupos alimentação e combustíveis. Em alimentação, os produtos in-natura vêm subindo de preço há algumas semanas, refletindo a retomada do consumo. Em combustíveis, os reajustes do preço da gasolina nas refinarias estão chegando ao consumidor. De qualquer forma, essas pressões devem ser temporárias, e a inflação de 2020 deve ficar tranquilamente abaixo da meta estabelecida pelo Banco Central”, explica.

“Os preços nos demais grupos estão em desaceleração, excetuando o vestuário, que tem um aumento sazonal normal devido à entrada de uma nova estação”, informa o coordenador.

A próxima apuração do IPC-S, com dados coletados até o dia 22 de novembro, será divulgada no dia 23 de novembro.

 

 

Fonte: Correio Braziliense

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

Acordo Coletivo de Trabalho celebrado entre FEPROP e Laboratórios Aché regula compensação de feriados durante a pandemia e resguarda a segurança da categoria

abril 15th, 2021 autor

FEPROP – Media palestra sobre Síndrome de Burnout

abril 3rd, 2021 autor

FEPROP Convoca para Acordo Coletivo do laboratório Aché os Propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do Estado do Rio de Janeiro

abril 1st, 2021 autor

Auxílio Emergencial: Caixa paga última parcela a 4,9 milhões e encerra pagamentos a beneficiários do Bolsa Família

dezembro 23rd, 2020 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)