Desemprego chega a 14,4%, o mais alto desde o início da pandemia, diz IBGE

O número de brasileiros à procura de emprego chegou a 14 milhões na quarta semana de setembro, segundo o Pnad Covid, levantamento do IBGE para medir o impacto do coronavírus na sociedade brasileira.

 

Segundo os dados divulgados nesta sexta-feira (16), a taxa de desocupação do país ficou em 14,4%, contra os 13,7% observados na semana anterior. É o mais alto percentual desde o início da pandemia. Para se ter uma ideia, em maio, quando o isolamento social era mais rigoroso, a taxa de desemprego era próxima de 10%.

 

Por que isso acontece? Antes, é preciso entender como o número é calculado. O IBGE considera para a taxa de desemprego apenas as pessoas que não possuem uma ocupação, mas gostariam de trabalhar e procuram emprego. A alta, portanto, é resultado do maior número de pessoas que deixaram o isolamento social e buscam recolocação profissional.

 

“As informações sugerem que mais pessoas estejam pressionando o mercado em busca de trabalho, em meio à flexibilização das medidas de distanciamento social e à retomada das atividades econômicas”, diz a coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira.

 

Número de vagas segue estável: Já a população ocupada ficou em 83 milhões, estatisticamente estável na comparação com a terceira semana de setembro. “Vínhamos observando, nas últimas quatro semanas, variações positivas, embora não significativas da população ocupada. Na quarta semana de setembro a variação foi negativa, mas sem qualquer efeito na taxa de desocupação”, acrescenta.

 

Isolamento social despenca: Cerca de 2,2 milhões de pessoas abandonaram o isolamento social rigoroso entre a terceira e a quarta semana de setembro no Brasil. Segundo o IBGE, aproximadamente 31,6 milhões de pessoas afirmam manter o isolamento social rigoroso. Já o número de brasileiros que não tomaram nenhuma medida de restrição para evitar o contágio pelo novo coronavírus cresceu 937 mil em uma semana e chegou a 7,4 milhões de pessoas.

 

Fim da Pnad Covid semanal: O IBGE informou ainda que a divulgação desta sexta-feira foi o último boletim semanal sobre os impactos da doença no país. O instituto afirmou que a coleta de dados por telefone continuará, mas servirão para subsidiar as edições mensais da pesquisa, que devem continuar até o final do ano.

 

 

Fonte: 6 minutos

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

Nova diretoria do SINPROITA toma posse 2021

agosto 11th, 2021 autor

Eleição SINPRONORTE 2021

agosto 9th, 2021 autor
Diretoria SINPRONIG em Ação

Sinpronig- Vacinação Completa, Missão Cumprida

julho 23rd, 2021 autor

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA PARA ACT COM PROPAGANDISTAS E VENDEDORES DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS EMPREGADOS DOS LABORATÓRIOS ACHÉ NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

julho 12th, 2021 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)