Direção da empresa quer impedir a organização sindical da categoria

Enquanto no Brasil cai cada dia mais fundo num projeto retrógrado e autoritário, que visa a impor derrotas sobre os trabalhadores para favorecer os empresários, banqueiros, especuladores e ricos em geral, nos Correios a ditadura militar já está instalada.

A autoritarismo é evidente e aplicado desavergonhadamente. E vai muito além da negação do general em negociar com os sindicatos da categoria e com a parte justa da justiça para impor retrocessos históricos nos diretos.

O projeto dessa direção militar e do governo que ela representa é quebrar completamente a resistência da categoria. Para isso quer inviabilizar a ação sindical e acabar com os Sindicatos. E impedir que os trabalhadores conversem com suas lideranças sobre os problemas que os atingem, sobre sua organização, resistência e luta.

Sem reuniões setoriais

Entre as 50 cláusulas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) tungadas pela direção da ECT, com ajuda da maioria dos ministros governistas do TST, está a cláusula que regula o direito de organização sindical da categoria através das reuniões setoriais.

É uma cláusula básica em qualquer democracia, de direito de livre organização de um setor da população, no caso uma categoria profissional, que pode e deve estar unida para defender seus direitos, interesses e reivindicações.

A direção militar autoritária e ditatorial da ECT, além de eliminar essa cláusula e impedir a realização de reuniões nos setores, ainda quer impedir os dirigentes do Sindicato de atuarem nas entradas das unidades e os trabalhadores de conversarem e se informarem com eles.

É uma afronta imensa, claramente com a intensão de calar a categoria enquanto sua carteira é batida e essa empresa, que é patrimônio público da população do país, é destruída.

Não vamos e não podemos nos calar e aceitar essa imposição, essa tentativa de impedir nossa organização.

Se for preciso voltar à situação de décadas atrás, quando nos reuníamos na frente do setor, na rua, em igrejas e associações locais ou nos bares, voltaremos. Mas colocar o rabo entre as pernas e se calar frente ao autoritarismo e à ditadura, jamais!

 

Fonte: Mundo Sindical

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

FEPROP E FORÇA SINDICAL NACIONAL

novembro 30th, 2021 autor

FEPROP NA DEFESA DOS DIRIGENTES SINDICAIS DEMITIDOS PELO LABORATÓRIO SANOFI

novembro 30th, 2021 autor

CONGRESSO FEPROP 2021

novembro 30th, 2021 autor

Congresso Feprop Confirmado

novembro 8th, 2021 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)