Brasil retrocede três posições no governo Bolsonaro e é a 12º economia do mundo

Em 2019, o Brasil ocupava a 9ª posição entre as maiores economias do mundo, de acordo com o valor do PIB em dólares. Chegará ao final deste ano no 12º lugar, de acordo com informações do FMI compilados pela Fundação Getúlio Vargas. Este é o saldo, até o momento, da política econômica neoliberal imposta pelo governo Bolsonaro.

A bem da verdade, é preciso dizer que o retrocesso da economia brasileira não é obra apenas do governo Bolsonaro. Teve início no golpe de 2016, que afastou a presidenta Dilma Rousseff e conduziu o corrupto Michel Temer, hoje conselheiro de Bolsonaro, à Presidência da República.

 

Estagnação e recessão

O presidente golpista deu início a um processo de restauração neoliberal que se traduziu na reforma da legislação trabalhista, ampliação da terceirização, privatizações e congelamento dos gastos públicos. O Brasil saiu de uma severa recessão nos anos 2015-2016 para cair no pântano da estagnação econômica com desempenhos medíocres em 2017, 2018 e 2019. Neste ano, com a pandemia, o PIB deve despencar mais de 5%.

Em 2011, sob o governo Dilma, o Brasil ocupou a 7ª posição entre as maiores economias do mundo, atrás dos EUA, China, Japão, Alemanha, Reino Unido e França. Sob Temer, caiu uma posição, ficando no oitavo lugar.

Assessorado pelo rentista Paulo Guedes, Jair Bolsonaro manteve a política fiscal restritiva dos golpistas e a ideologia enganosa do Estado mínimo, promoveu a reforma da Previdência, submeteu a política externa brasileira aos desígnios de Washington e reforçou o caráter entreguista do governo.

Em 2019, primeiro ano de seu desastrado governo, o país recuou um pouco mais, ficando em 9º lugar. Agora, com a contribuição da pandemia e o derretimento do real, o Brasil dá um salto para trás, perde três posições e deixar de se situar entre as 10 maiores economias do mundo, é agora a 12ª.

 

Depreciação cambial

É preciso ressalvar, porém, que a involução do país no ranking internacional reflete também o movimento errático das taxas de câmbio, que não se dá necessariamente no mesmo ritmo da produção. O real sofreu uma forte depreciação ao longo deste ano. Perdeu em torno de um terço do seu valor em relação ao dólar.

Por esta razão, segundo as projeções do FMI, o PIB brasileiro deve recuar 28,3% neste ano em relação a 2019, quando seu valor é convertido ao da moeda americana, caindo de US$ 1,8 trilhão para US$ 1,4 trilhão.

A recessão é forte, mas a queda real do PIB brasileiro será bem menor que a desvalorização do real e deve ficar em torno de 5%. Medida mais confiável para avaliar a riqueza relativa das nações é a chamada Paridade de Poder de Compra, que procura aferir o valor relativo das mercadorias nos diferentes países de forma mais realista. O dólar é sujeito a variações cambiais voláteis e artificiais.

Levando em conta a paridade do poder de compra, o Brasil ocupou no começo desta década a sétima posição no ranking de maiores economias do mundo, status que sustentou até o golpe de 2016. No ano seguinte, em 2017, o país escorregou para a oitava posição e, em 2019, já sob Bolsonaro, ocupava o décimo lugar entre as grandes economias do planeta.

Por este critério, a China já é a maior economia do mundo, com um PIB de US$ 23,4 trilhões em 2019, superando notavelmente os Estados Unidos, cujo PIB foi estimado em US$ 21,4 trilhões naquele ano. Em 2020 a diferença a favor da China certamente foi ampliada pois o gigante asiático será o único entre os países mais industrializados a concluir o ano com uma taxa positiva do PIB, devendo crescer 1,9% enquanto os EUA devem recuar quase 5%, conforme os cálculos do FMI.

 

 

Fonte: Mundo Sindical

Palavra do Presidente

A Feprop foi constituída como resultado de uma pauta de compromissos assumidos no 1º congresso Nacional dos sindicatos dos Propagandistas e Vendedores de Produtos Farmacêuticos ocorrido em Junho de 2016, na ocasião, além da constituição de nossa Federação foi pont...

ler mais..

Nova diretoria do SINPROITA toma posse 2021

agosto 11th, 2021 autor

Eleição SINPRONORTE 2021

agosto 9th, 2021 autor
Diretoria SINPRONIG em Ação

Sinpronig- Vacinação Completa, Missão Cumprida

julho 23rd, 2021 autor

ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA PARA ACT COM PROPAGANDISTAS E VENDEDORES DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS EMPREGADOS DOS LABORATÓRIOS ACHÉ NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO.

julho 12th, 2021 autor

Feprop- federação dos propagandistas e vendedores de produtos farmacêuticos do estado do Rio de Janeiro – CNPJ 27.219.338/0001-95
Rua Prefeito Moreira Neto, 81 sala 301 Centro – Macaé RJ CEP 27.913-090 - Tel: 22 2772-4850 / 21 97422-0769 (WhatsApp)